Os diagnósticos de câncer, durante os meses iniciais da Pandemia da COVID-19, reduziram significativamente. Enquanto demos um pausa na nossa vida social por medo e razões preventivas, o câncer não parou. Ao evitar a procura do atendimento médico para consultas preventivas, por receio da COVID-19, permitimos que o câncer avançasse, diagnosticando doenças em estágios mais avançados.

O Instituo Nacional do Câncer Americano está prevendo 10 mil mortes a mais, durante a próxima década, devido ao atraso dos exames preventivos oncológicos. Um levantamento de dados feito pelo pesquisador Harvey Kaufman, de Nova Jersey – EUA, observou que houve uma queda de 46,4% dos diagnósticos oncológicos durante a Pandemia da COVID-19. Essa queda está sendo observada em outros países, como na Holanda onde o registro do câncer caiu 40%. No Reino Unido evidencia uma queda de 75%, desde o início das restrições impostas pelo COVID-19.

Com certeza o Brasil está enfrentando a mesma situação. O Brasil, o Amazonas passaram por um longo período com os centros cirúrgicos fechados, pois as estruturas hospitalares foram convertidas exclusivamente para o atendimento da COVID-19.

Agora com as quedas das infecções e mortes pela Covid-19 em nosso Estado, e o processo de reabertura gradativa de todas as atividades, é importante que as pessoas voltem a manter suas rotinas e seguimentos médicos, claro, mantendo sempre os cuidados devidos.

Vamos relembrar? Distanciamento social de 1 metro; lavagem adequada das mãos com água e sabão; uso do álcool em gel 70% e uso de mascarás em lugares públicos.

Você é paciente oncológico? Agende a consulta com o seu oncologista e marque seus exames. Nosso compromisso é com a saúde

Dr. William Fuzita – Oncologista Clinico e Diretor Técnico da Sensumed Oncologia

Deixe uma resposta

× Agendamento de consulta