ONA certifica serviço oncológico no Amazonas

A clínica SENSUMED Oncologia agora é certificada pela Organização Nacional de Acreditação | ONA, em Serviço Oncológico, única no Amazonas e na região Norte certificada nessa categoria, para o biênio 2019-2021. A divulgação foi feita na última quarta-feira, 14 de agosto de 2019. A unidade de saúde é acreditada no nível 1 – Acreditado, no qual cumpre ou supera, em 70% ou mais, os padrões de qualidade e segurança definidos pela ONA, em todas as áreas de atividades da instituição, inclusive aspectos estruturais e assistenciais.

“Trabalhamos para promover o bem-estar e oferecer tratamento oncológico de qualidade, transdisciplinar, humanizado e personalizado, baseado em evidências científicas. A conquista dessa acreditação é resultado do empenho e talento individual e coletivo de nossa equipe”, avalia o diretor técnico e oncologista clínico da SENSUMED Oncologia, Dr. William Fuzita. E enfatiza que a certificação traduz a contribuição da clínica e de seus profissionais no combate ao câncer no Amazonas, dedicada às pessoas que lutam bravamente contra essa doença.

Acreditação

A ONA é responsável pelo desenvolvimento e gestão dos padrões brasileiros de qualidade e segurança em saúde, a qual trabalha, desde 1999, para que as instituições de saúde no Brasil adotem práticas de gestão e assistenciais que levem à melhoria do cuidado para o paciente. Além de referência nacional, os padrões ONA são reconhecidos no exterior. Para reconhecer a acreditação, que é um método de avaliação e certificação que busca, por meio de padrões e requisitos previamente definidos, promover a qualidade e a segurança da assistência no setor de saúde, a ONA conta com instituições credenciadas.

Com esse propósito, a direção da SENSUMED Oncologia iniciou o processo de acreditação no Nível 1 – Acreditado ONA, e recebeu a visita de quatro avaliadoras da Fundação Vanzolini, instituição Acreditadora credenciada, as quais permaneceram na clínica nos dias 24, 25 e 26 de julho, passado, quando percorreram os diversos setores e interagiram com os profissionais para fazer uma detalhada análise das boas práticas e verificar o cumprimento dos padrões do Manual de Certificação Nacional, pois para ser acreditada, a organização precisa comprovadamente atender aos padrões definidos pela ONA, reconhecidos internacionalmente.

Após o período de análise das avaliadoras, a SENSUMED Oncologia conquistou a certificação no nível proposto, tornando-se a única clínica do estado do Amazonas e região Norte acreditada no Serviço Oncológico, Nível 1 – Acreditado. A ONA tem mais dois níveis de acreditação, a serem conquistados progressivamente conforme o atendimento aos padrões ONA.

No Amazonas, a SENSUMED Oncologia é a empresa mais recente acreditada, de um total de sete organizações de saúde certificadas no estado, nas categorias de Hospital (4 unidades) e Serviços Ambulatoriais (2 clínicas), conforme o Mapa de Acreditações publicado no site ona.org.br .

Rede Einstein

A SENSUMED Oncologia também conquistou, neste ano de 2019, a certificação do Hospital Israelita Albert Einstein, por meio do seu Centro de Oncologia e Hematologia Einstein, que é líder em pesquisa, em tecnologia e pioneiro em terapia genética no tratamento do câncer, e passou a integrar a Rede Einstein de Oncologia e Hematologia, que chega com toda a sua expertise em diversas cidades do Brasil por meio de clínicas de referência, sendo a SENSUMED Oncologia em Manaus, na região Norte, e mais outras quatro instituições de saúde das regiões Centro-Oeste, Nordeste e Sul do país.

 

 

“As pessoas da nossa cidade e dos demais estados da Região Norte, que gostariam de fazer seu tratamento no Einstein, e por algum motivo não podem se deslocar até São Paulo, agora o Einstein veio até o Norte, com a Rede Einstein de Oncologia e Hematologia”, ressalta Dr. William Fuzita. E acrescenta que o paciente da Clínica SENSUMED Oncologia poderá escolher se prefere se tratar em Manaus, na SENSUMED Oncologia, ou em São Paulo, na unidade Einstein, com o mesmo padrão de qualidade e atenção.

Por meio da Rede, explica o especialista, são compartilhados conhecimento, tecnologia e boas práticas com as instituições. Além disso, as clinicas integrantes da Rede Einstein contarão com serviços de segunda opinião e poderão encaminhar para o Einstein casos mais complexos ou que exijam uma estrutura mais sofisticada.

Núcleo de Cuidados Paliativos da SENSUMED Oncologia e ISENP realizam Simpósio de Comunicação na Saúde

A SENSUMED Oncologia, por meio do Núcleo de Cuidados Paliativos, com apoio do Instituto SENSUMED de Ensino e Pesquisa Ruy França | ISENP Ruy França, realizará o Simpósio de Comunicação na Saúde, sobre teorias, aspectos jurídicos da comunicação e a relação entre médico-paciente e equipe multiprofissional, no dia 28 de agosto, às 19h30, na clínica Sensumed Diagnóstico, situada na Rua São Luiz, 510 – Adrianópolis.

O Simpósio de Comunicação na Saúde contará com a participação da Dra. Sálvia Haddad, procuradora do Estado do Amazonas e mestranda em Direito Constitucional pela Unifor|CE; e integrantes da equipe multidisciplinar, Dra. Caroline dos Anjos, oncologista clínica e diretora do Núcleo de Cuidados Paliativos, e Dr. William Fuzita, oncologista clínico e diretor técnico da SENSUMED Oncologia.

O evento é destinado a profissionais e acadêmicos da área da saúde. As inscrições podem ser feitas pelo número (92) 98403-2797. O valor da inscrição é de R$ 20,00 + produto de higiene pessoal, os quais serão doados para o Abrigo O Coração do Pai, que acolhe crianças e jovens órfãos de 0 a 18 anos. Produtos: shampoo, condicionador, creme para pentear, creme antiassadura, desodorante.

ISENP reúne com residentes da FHAJ e HUGV

O programa de residência médica da SENSUMED Oncologia foi pauta da reunião científica semanal, do Instituto SENSUMED de Ensino e Pesquisa – Ruy França | ISENP, na última quarta-feira (31), com a finalização da residência do médico Aluísio Juliano Baumgartner, residente da Fundação Hospital Adriano Jorge |FHAJ, e início da residência das médicas Kamilla da Silva Reis e Rafaelly de Magalhães, residentes de nível 2 do Hospital Universitário Getúlio Vargas | HUGV.

A reunião contou com a participação dos pesquisadores do ISENP, Dra. Caroline dos Anjos, oncologista clínica e diretora do Núcleo de Cuidados Paliativos; Dra. Fernanda Garcia, cirurgiã-dentista e laserterapeuta; Dra. Lia Mizobe Ono, cicurgiã-dentista, laserterapeuta e diretora de Ensino e Pesquisa; e Dr. William Fuzita, oncologista clínico e diretor técnico; integrantes da equipe transdisciplinar da SENSUMED Oncologia.

Laserterapia de baixa potência e suas aplicações

A Laserterapia não é um tratamento tão recente, sendo seus efeitos de aceleração de cicatrização conhecidos desde a década de 60, sendo utilizado em várias áreas da saúde.

Atualmente, vem sendo utilizado rotineiramente nos pacientes oncológicos, em tratamento de radioterapia e quimioterapia: de cabeça e pescoço e nos pacientes que irão submeter a transplante de medula óssea, para prevenir e tratar a mucosite oral.

Devido a comprovação de seus efeitos, os quais não só aceleram a cicatrização, como auxiliam na diminuição do processo inflamatório e, consequentemente, levam ao alívio da dor, vem sendo utilizado na área odontológica para:

> Tratamento de disfunção de ATM (Articulação temporomandibular, que liga o maxilar ao crânio)
> Induzir a formação óssea nos implantes dentários
> Nas exodontias (extrações), para melhorar a cicatrização das gengivas
> Inibir o aparecimento do herpes labial
> Alívio da dor nos diversos procedimentos

Por ser uma terapia indolor e de fácil aplicação, tem tido uma ampla aceitação dos pacientes.

Dra. Lia Mizobe Ono
Cirurgiã-Dentista e laserterapeuta da SENSUMED Oncologia e da Oral Health.
Doutora em Cirurgia e Traumatologia Bucomaxilofacial – UNICAMP
Diretora de Ensino e Pesquisa da SENSUMED Oncologia
CRO AM 1716

Laço Verde | Prevenção do Câncer de cabeça e pescoço

Nesse finalzinho do mês, reforçamos nosso apoio à campanha nacional do Julho Verde, instituída pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), no ano de 2015, no mês que celebra o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço (27/07), para alertar para a prevenção e diagnóstico precoce.

Sabemos que esse tipo de tumor é na sua maioria relacionado aos hábitos não saudáveis de vida. Dos quais os mais impactantes são: ingestão excessiva de álcool, fumo, bem como a infecção pelo papiloma vírus humano-HPV.

Essa classe de tumores também pode ser prevenível com hábitos alimentares saudáveis.

Uma dieta rica em frutas e vegetais, principalmente os de folhas verdes e os crucíferos, como a couve-flor e os brócolis, reduz o risco de câncer de boca, faringe e laringe, por sua ação antioxidante e de reparação do DNA celular. Pesquisas apontam que a vitamina C, carotenoides e fitoquímicos contidos nas frutas e vegetais exercem um efeito protetor, pois a ingestão de vitamina C diminui o risco desse tipo de câncer. Entre as fontes de carotenoides, o tomate é apontado por ter ação protetora, especialmente quando usado em alimentos que sofrem cocção.

Nesses casos a dieta vegetariana exclusiva não está associada a menor risco de câncer. É preferível uma dieta diversificada, ou seja, que contenha um pouco de cada tipo de alimento.

A ingestão de alimentos muito condimentados, carnes processadas, assim como alimentos muito gordurosos aumenta o risco desse tipo de câncer. Da mesma forma, os cereais derivados do arroz e a ingestão de vegetais ricos em amido, como a batata portuguesa, podem contribuir para um risco maior, embora as evidências não sejam muito conclusivas.

O tempero cúrcuma (derivado do açafrão) é um alimento muito promissor, pois tem ação importante como anti-inflamatória, antioxidante e antiviral, podendo ser protetor contra o câncer.

A ingestão de bebidas muito quentes como o mate, bem como de alimentos muito quentes, favorece o aparecimento de câncer de boca, faringe e laringe. Os estudos ainda não concluíram se o mate predispõe ao câncer de boca, faringe e laringe pela temperatura em que é ingerido ou se há também fatores químicos envolvidos.

O chá preto e o verde têm efeito protetor. (Durante o tratamento oncológico, estes devendo ser consumidos somente com orientação médica/nutricional).

Opcionalmente a dieta mediterrânea – com frutas, legumes e verduras + carnes brancas (Peixes e aves) + azeite Extra Virgem – está associada a baixos riscos de câncer de boca, faringe e laringe.

Embora altos níveis de vitamina A no sangue sejam protetores, a suplementação da dieta com vitamina A tem resultados conflitantes, pois em alguns estudos protege contra o câncer e em outros, aumenta seu risco. Já os compostos pro VIT A, como os carotenoides (alfacaroteno e betacaroteno), possivelmente tem efeito protetor, revertendo, inclusive, lesões precursoras de câncer na boca e cavidade oral.

MSc. Ábner Souza Paz
Nutricionista Clínico-Oncológico da SENSUMED Oncologia
Mestre em Cirurgia
Especialista em Terapia Nutricional Enteral e Parenteral BRASPEN/SP
Especialista em Nutrição Oncológica SBNO/RJ
CRN-4744

A importância da pesquisa clínica na oncologia

A pesquisa torna possível ampliar o acesso a novas terapias, melhorar a qualidade de vida e aumentar a sobrevida dos pacientes.

Pesquisas Clínicas são estudos usados para explicar um processo de investigação cientifica que envolve seres humanos. Possuem a finalidade de trazer mais conhecimento sobre a doença e seus tratamentos.

É por meio da pesquisa clínica que os cientistas (médicos) encontram novas e melhores maneiras de prevenir, detectar, diagnosticar, controlar e tratar doenças. É apenas através da pesquisa que temos conhecimento da real incidência, características epidemiológicas e biológicas dos pacientes, de acordo com a realidade de cada país ou região.

Não existe outro caminho para se descobrir novos medicamentos ou novas opções de tratamento para o câncer. Ou seja, a pesquisa clínica em Oncologia busca encontrar o melhor caminho de tratar o câncer e, consequentemente, ajudar as pessoas doentes. Todos os tratamentos disponíveis no mercado atualmente, já passaram por estudos clínicos e já foram aprovados para a comercialização.

Os pacientes são os grandes beneficiários. Muitas doenças que passado eram fatais hoje podem ser curadas ou controladas com medicamentos que dependeram de estudos, pesquisas, investimentos e conscientização. Ex.: Acidente Vascular Cerebral, o famoso derrame, com redução de 70% da mortalidade, e a revolução que observamos no tratamento do HIV, com redução de 65% das mortes nas duas últimas décadas.

No Brasil, a pesquisa clínica ainda encontra obstáculos: com burocracia no sistema de autorização para estudos; e pouco incentivo para o desenvolvimento de pesquisas epidemiológicas, que permitem conhecer a realidade e características que envolvem os pacientes, para definir e implantar tratamentos.

Dra. Paulyne Viapiana
Médica assistente da SENSUMED Oncologia
Estágios nas áreas de Radioterapia e Oncologia Clínica, em instituições de referência em Pesquisa:
Institut Gustave Roussy | Paris – França
MD Anderson Cancer Center | Houston – EUA
A.C.Camargo Cancer Center | São Paulo – Brasil
CRM 10.191

#AmazonasContraoCâncer #SensumedOncologia #OncologiaClínica #RadioOncologia #Quimioterapia #Radioterapia #Imunoterapia #PesquisaCientífica #PesquisaClínica #OncologiaPersonalizada #OncologiaAmazonas #OncologiaManaus #Amazonas #Manaus

Rastreio e Prevenção de câncer de colo de útero

Continuamos em Campanha Permanente Contra o Câncer de Colo de Útero. No estado do Amazonas o câncer de colo uterino ainda é o mais frequente entre as mulheres. Para evitá-lo podemos utilizar estratégias de rastreio e prevenção.

O método de rastreamento do câncer do colo de útero e de suas lesões precursoras é o exame citopatológico. O intervalo entre os exames deve ser de três anos, após dois exames negativos, com intervalo anual.

O início da coleta deve ser aos 25 anos de idade para as mulheres que já tiveram atividade sexual.

Os exames devem seguir até os 64 anos e serem interrompidos quando, após essa idade, as mulheres tiverem pelo menos dois exames negativos consecutivos nos últimos cinco anos.

O método de prevenção do câncer de colo de útero é a Vacina contra o HPV quadrivalente (HPV, 6, 11, 16, 18), com 2 doses de 0, 6 meses, para meninas dos 9 aos 14 anos e meninos dos 11 aos 14 anos. Pacientes vivendo com HIV na faixa etária de 9 a 26 anos devem tomar 3 doses: 0, 2 e 6 meses.

É muito importante guardar exames anteriores, pois para alguns resultados “benignos” o intervalo de tempo de repetição é diferente e se persistirem devem ser investigados mais a fundo. Se não tivermos exames anteriores nunca saberemos se é o primeiro alterado ou uma repetição.

Dr. Bruno Monção Paolino
CRM 6800 | RQE 4046
Ginecologista e Mastologista
Membro da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia ( Febrasgo)
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM)

Saúde do Idoso é tema em ciclo de palestras do Hospital da Aeronáutica

 

Dr. Sileno Fortes Filho, médico geriatra da SENSUMED Oncologia, falou nesta quinta-feira, dia 18 de julho, de 2019, sobre Delirium, um estado confusional agudo do idoso, como reconhecer o delírio em um paciente que está internado. Esta é a segunda de uma série de palestras, realizada pela SENSUMED Oncologia em parceria com o setor de ensino e pesquisa da Aeronáutica, para residentes e médicos do Hospital da Aeronáutica de Manaus.

 

 

Nutricionista oncológico obtém título de Mestre em Cirurgia

Nossas congratulações ao nutricionista especialista da SENSUMED Oncologia e pesquisador do Instituto SENSUMED de Ensino e Pesquisa Ruy França – ISENP, Ábner Souza, pela finalização de seu mestrado, realizado na Universidade Federal do Amazonas – UFAM, pelo Programa de Pós-graduação em Cirurgia – PPGRACI, com estudo no qual aponta um marcador PROMISSOR, na atuação das equipes cirúrgicas digestivas oncológicas, no intuito de prever situações indesejáveis no pós-operatório, tais como efeitos da desnutrição e até mesmo o óbito.

Com orientação da professora Drª. Maria Conceição de Oliveira, o especialista teve em sua banca de avaliação a professora Drª. Ana Rita e o médico cirurgião e professor Dr. Gerson Nakajima.

 

Laço Amarelo de Conscientização do Sarcoma

O Laço Amarelo, de conscientização do Sarcoma / câncer ósseo, é destacado no mês de Julho. Entre as variações existentes desse tipo de tumor, os Sarcomas de partes moles são tumores malignos e localmente agressivos, com um potencial variado de metástases.

Muitas vezes esses pacientes têm dor mínima e consultam um médico por causa da presença de uma massa em tecidos moles, como geralmente crescem de forma muito lenta, na maioria das vezes, o paciente demora para procurar ajuda médica.

Existem poucos fatores de risco bem definidos e há raros fatores ambientais associados a esses tumores. Portanto, a melhor forma de se evitar a doença é a prevenção secundária, ou seja, quando ocorrer o surgimento dos sintomas.

Há muitos tipos histológicos dos sarcomas de partes moles. E a escolha do tratamento e indicação cirúrgica dependem do grau histológico e de sua localização, podendo acometer qualquer parte do corpo, desde cabeça e pescoço até tronco e órgãos internos. O tratamento é baseado no tripé CIRURGIA, RADIOTERAPIA E QUIMIOTERAPIA, a depender de cada caso.

Existem mais de 50 tipos de tumores catalogados sob a nomenclatura de Sarcomas de Partes Moles, que podem surgir em qualquer parte do organismo, ainda que 60% dos casos acometam os membros inferiores e membros superiores.

São classificados pela Organização Mundial de Saúde de acordo com sua linhagem histológica:
– fibroblásticos
– fibro-histiocíticos
– lipomatosos
– do músculo liso
– do músculo estriado
– dos vasos linfáticos e sanguíneos
– da bainha de nervos periféricos
– neuroectodérmicos
– ósseos e cartilaginosos extra-esqueléticos
– sem origem determinada

Dr. Ubiratã Gomes Loureiro de Oliveira
CRM 5787 | TEOT 13050 | RQE 3215
Membro Titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia
Residência Médica em Oncologia Ortopédica pela Santa Casa de São Paulo